Quem sou eu

quarta-feira, maio 25, 2011

Lenda: "De carater fantástico e/ou fictício, as lendas combinam fatos reais com irreais que são meramente produto de imaginação aventuresca" (wikipédia)

Saudações traseuntes deste blog.
A definição acima é dada pelo wikipédia sobre o tema que desejo pensar com vocês: MATURIDADE realidade ou ficção???

Estou respirando nos ultimos 6 anos uma experiência muito interessante.
ela é intensa como uma montanha russa e tem suas nuãnces e divergente como bebida gelada em dia muito frio.
ela não tem uma regra única para todos(as) e nem um tempo certo para acontecer, dizem que as vezes nem acontece.
As vezes penso se ela na verdade não é uma lenda, uma fantasia, um factóide.
A maturidade não é como um remédio que vem com uma bula explicativa, apesar que as vezes ela tem função medicinal para pessoas.
Ela não tem como ser medida.
É metamórfica e não obriga ninguém a possui-la, porém dá dicas no desenvolver da vida.
Quero agora citar de dicas que ela dá:

1- ensina a falar cada vez menos (se você conhece os protocolos os protocolos para resolver um dito "problema", não precisa alardear, apenas faça)

2- ensina que o tempo pode ser um grande aliado (não podemos adiar ou acelerar o tempo por isto é bom te-lo como amigo) e,

3- o "não" pode ser também uma resposta positiva ( ouvir um não e não focar nele pode ter te livrado de um grande problema).

A maturidade, ao meu ver, mesmo tendo vida própria, poder e sabedoria, não é ditadora.
Saber se ela é uma lenda ou não requer um exercicio muito intenso para mim pois sou observador de detalhes.
Ter a sensibilidade para perceber quando devo agir e retroagir.
Dar perdão e aceitar perdão.
Me aceitar com minhas falhas.
Aceitar o outro com as suas.
Não entrar em traumas por descobrir que não posso ser amigo de todos(as) e vice-versa.
Estou curtindo a tal lenda Maturidade e suas variações e quero mais de sua amizade.
Um dia escrevo mais sobre isto.
Até breve, enquanto o breve for nosso futuro...

quarta-feira, abril 13, 2011

O grande negócio não é ter uma igreja e sim...

Saluto traseuntes deste blog.
Hoje quero, com vocês, decifrar,ou melhor, " dar um voô panoramico" na idéia de se ter uma igreja nos dias de hoje com a polarização do pensamento e do desejo de sentir-se poderoso.
Prometi no meu site de relacionamento escrever sobre as característcas egoístas e muambeiras do crentismo de hoje dentro do que  vejo. As relações doentes e fedendo defunto de crentes com o "divino " ego-cego-centríco.
Características muambeiras por que trazem de fora, digo, dos tais renomados pastores de outros continentes, uma teologia, as vezes penso  se não ofendo a teologia, que não tem nada de bíblia  e tudo de pessoal, arrogante, avarento, presunçoso e diabólico e Judas fala muito bem sobre tais.Pensamentos digos cristão pirateados e sem "selo" de originalidade que causam serios danos a quem dele e por ele vive.
Características egoísta por são crentes iguais a irmão do filho pródigo que ao invés de se alegrar com a volta daquele que cometeu um erro e se arrependeu julga que o pai também erra ao recebe-lo. Parece muito comum isto nas igrejas; pensar que o texto é pra quem desvia e prega-lo pra dizer que o filho mal precisa se arrepender e voltar mas a verdade também explicita no texto da conta de um filho e/ou crente antigo de igreja, que não queria dividir mais nada com o irmão e/ou pecador arrependido, logo o texto exorta também os crentes e sua vida refletida com sepulcro caiado. (evidente que neste caso a carapulsa se encaixará a quem quizer vesti-la e sei que a igreja possui muitos homens e mulheres de vida integra com um evangelho integral)
Vou contar 2 exemplos que vive estes dias:
Temos em nossa rua um N.E.B (Nucleo de Estudos Bíblicos) e somos agraciados com quase 20 pessoas onde apenas 1 delas é crente, além de minha esposa e eu.
Um dia está pessoa esteve em nossa casa aos prantos, chorava copiosamente. Perguntamos o que estava acontecendo e fui chocado com o que levou está pessoa a chorar tanto.
Ela esteve no culto de santa ceia de sua igreja em um domingo e foi após uma discussão com seu conjuge, acontece que lá chegando e ouvindo a mensagem de seu pastor ouviu dele que quem estivesse me pecado e pacado era também estar brigado com o conjugê não poderia tomar a ceia pois estaria se condenando e está pessoa, após mais de 15 anos indo na igreja não tomou a ceia pela primeira vez.
Tentei explicar a ela da importancia de se examinar apenas sem emitir juízo e não ficar sem tomar pois somos todos pecadores mas a mesa do Pai nos faz ver nossos pecados e aceitar a redenção mas ela continuava a chorar.
Como me parecia que seu problema era mesmo o fato de não ter se sentido dentro de seu mundo religioso fui até a cozinha, picotei o pão que minha esposa compra pra mim e que amo muito e fiz suco de uva, peguei 3 copos de licor e fui a sala com shorts  e camisa de um time e ministrei a ceia para ela, minha esposa e eu e está pessoa finalmente sentiu paz em seu coração.
Isto me chocou porque conheci uma pessoa que está a 15 anos em uma igreja e não é capaz de ter uma saúde teologica.
Outro fato que me deixou triste. Na empresa onde trabalho atualmente tinha uma mulher religiosa de uma igreja evangelica até que bem tradicional e histórica.
Esta mulher dizia de sua condição religiosa a todos(as) e iniciou todas as 2° feiras um devocional na empresa.
Parecia tudo muito bom até que um dia meu gerente me chamou e disse que fazia mal a ele o devocional e eu perguntei por que e ele respondeu: _ ela só diz que na igreja dela é que sou salvo e diz que é a melhor pessoa da empresa e fica falando da bíblia o tempo todo só que ao mesmo tempo é fofoqueira, mentirosa e fala mal da empresa até pra clientes.
Em resumo ela foi mandada embora e minha tese que religião não anda com profissionalismo está ganhando corpo.
O grande negócio não está em ter uma igreja enorme com milhares de pessoas pois isto continua não provando nada, e se provar talvez possa revelar, em alguns casos, que a verdade não foi conhecida e não houve libertação.
O grande negocio está em dividir conhecimento e fazer discipulos de Cristo e obreiros(as) aprovados que manuseiam bem a palavras.
Mas estou muito feliz porque convivo muito mais com crentes bons e fiéis e pastores interessados no Reino e sua expansão e escrevo apenas para cumprir meu papel de profeta que denuncia sem medo a maldade decorrente de corações possuidos pelo caminho de Balaão.
Até breve, enquanto o breve for nosso futuro...